Download MacauHub mobile app (iOS version)


Download MacauHub mobile app (Android version)


Delta do Rio das Pérolas e Macau são “terra das oportunidades” para comerciantes africanos

O Delta do Rio das Pérolas, Hong Kong e Macau são a “base” preferida para comerciantes africanos na China, que têm vindo a encontrar ali uma “abundância de oportunidades”, de acordo com vários investigadores.

Dados citados num artigo na Strategic Review for Southern Africa por Carlos Lopes, académico natural da Guiné-Bissau e ex-presidente da Comissão Económica das Nações Unidas, indicam que 500 mil africanos residem actualmente na China, dos quais 100 mil na cidade de Cantão, seguindo-se entre os destinos preferidos Hong Kong e Macau.

Entre os factores que contribuíram para a atractividade da região em geral e da cidade de Cantão, em particular, estão as ligações à província de Guangdong, uma base de produtos industriais apreciados nos países de origem dos emigrantes, de acordo com dados recolhidos pelo investigador académico Adams Bodomo.

Num artigo recente na revista The Diplomat, Eleka Watts referia que os comerciantes capitalizaram com a disponibilidade significativa de produtos de baixo custo, electrónica e outros, que permitem obter lucros substanciais nas trocas com os seus países.

“Entre outros factores, a expansão rápida da relação económica entre os africanos e Cantão criou uma abundância de oportunidades para os empreendedores migrantes africanos criarem comunidades na cidade”, refere Lopes, citando investigadores chineses.

Entre 1996 e 2008, o comércio entre Cantão e África sextuplicou, de 500 milhões de dólares para 3000 milhões de dólares e as exportações através da cidade cerca de 10 vezes.

Um estudo de 2014 envolvendo 205 comerciantes de mais de 50 países africanos residentes em Cantão indica que o rendimento médio destes é de cerca de 30 mil yuan, perto de 4500 dólares, muito acima da média dos operários chineses.

“A maioria dos comerciantes actua por conta própria, aumentando a percepção de sucesso. Isto é certamente um desenvolvimento surpreendente para os concorrentes locais chineses. Aos poucos, está a influenciar o comportamento do mercado na direcção dos empreendedores africanos e a mostrar o potencial do continente para as pequenas e médias empresas de Cantão”, afirma Lopes.

Dado o peso dos comerciantes africanos, Lopes afirma mesmo que haveria “um impacto significativo em bolsas da economia do sul da China”, se estes desaparecessem.

A importância dos laços linguísticos, culturais e comerciais criados por esta comunidade é evidenciada também no número de voos para a região por grandes transportadoras aéreas africanas, como a Egypt Air, Kenya Airways, South African Airways e Ethiopian.

Ao nível do ensino, o número de estudantes africanos tem vindo a crescer continuamente, sendo Macau um pólo universitário para o espaço da língua portuguesa.

A Região Administrativa Especial de Macau tem vindo a ganhar novas instituições, no domínio económico e comercial, vocacionadas para a expansão das relações com os países de língua portuguesa.

A estratégia “Uma Faixa, Uma Rota” e o reforço da capacidade produtiva de países de língua portuguesa integram o próximo plano de acção do Fórum de Macau, saído da conferência ministerial de 11 e 12 de Outubro de 2016, bem como a internacionalização da moeda chinesa, visando facilitar o investimento e as trocas comerciais – para as empresas – e do financiamento – para os Estados, que terá um pólo importante no sector financeiro de Macau.

Outra das novidades da Conferência foi que a a sede do fundo de 1000 milhões de dólares para investimentos nos países de língua portuguesa anunciado pela China em 2013 vai ser transferida de Pequim para Macau para facilitar o contacto com os potenciais interessados.

Macau passou recentemente a contar com uma Câmara de Comércio Africana, cuja constituição tem por objectivo promover negócios e captar investimento chinês para África. (Macauhub)

Compartilhe esta notícia:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Print
  • email
  • RSS

Notícias relacionadas:

  1. Macau e Guangdong vão ao Brasil divulgar oportunidades do Grande Delta do rio das Pérolas
  2. Macau e Delta do rio das Pérolas são boas oportunidades para empresários brasileiros
  3. Governo de Macau participa no desenvolvimento da região do delta do rio das Pérolas
  4. China: Hong Kong, Macau e Guangdong financiam ponte no delta do rio das Pérolas
  5. Macau: Desenvolvimento do grande delta do rio das Pérolas pode beneficiar relações com os países de língua portuguesa