Download MacauHub mobile app (iOS version)


Download MacauHub mobile app (Android version)


Moçambique melhorou ambiente de negócios de acordo com o Banco Mundial

Maputo, Moçambique, 5 Nov – A redução dos procedimentos para abertura de um negócio ou empresas, associada à eliminação da exigência de capital mínimo para os investimentos, fez Moçambique saltar nove lugares no “Doing Business” 2011, situando-se na 126ª posição da lista, informou o jornal moçambicana O País.

Moçambique subiu nove posições na lista do “Doing Business” 2011, num universo de 183 países, que são avaliados de acordo com os respectivos ambientes de negócio e as mudanças que introduzem para melhorá-los.

O relatório do Banco Mundial informa que a subida de Moçambique deve-se às reformas efectuadas na componente de abertura de um negócio ou empresa, sobretudo pela eliminação da cobrança do capital mínimo para o efeito.

Este é o segundo ano consecutivo em que Moçambique sobe no “Doing Business”, depois de ter subido cinco posições (ao passar da posição 140 para a 135), no “Doing Business” 2010.

A propósito da criação de facilidades para os investidores actuarem, o documento menciona o facto de Moçambique ter reduzido os procedimentos e o tempo para a abertura de micro-empresas, sendo possível obter uma licença em apenas uma hora.

A falta de reformas em muitas componentes ligadas ao “Doing Business” atrasa também o objectivo do governo moçambicano, lançado em 2008, de se tornar no país que melhor ambiente de negócios apresenta a nível da região da África Austral até 2015.

Os dados do “Doing Business” 2011 mostram que Moçambique se situa na oitava posição a nível da região, tendo ultrapassado a Tanzânia, que se situa, neste momento, na nona posição.

De resto, o país continua longe dos primeiros classificados na SADC, as Ilhas Maurícias (o vigésimo na classificação mundial), a África do Sul e o Botswana, que se encontram nas primeiras 60 posições da lista geral.

A lista geral do “Doing Business” do Banco Mundial continuou a ser liderada por Singapura, seguida de Hong Kong, encontrando-se nas duas últimas posições a República Centro Africana e o Chade. (macauhub)

Compartilhe esta notícia:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Print
  • email
  • RSS